quinta-feira, 4 de março de 2010

Dois enamorados corriam pelo bosque, numa linda noite onde a lua cheia se fazia presente emprestando sua graça a tão importante data. Fugiam de casamentos arranjados e duas famílias rigorosamente tradicionais. Iam em busca da felicidade e de um cenário onde amar não fosse pecado.

Percebendo que sua amada diminuirá o ritmo de seus passos e com medo de que ela estivesse esforçando se alem de suas possibilidades, o jovem parou próximo a uma grande pedra, na qual ela poderia descansar por um tempo. Tempo esse que não estava a seu favor, teimava lhe em voar, não demoraria muito e logo amanheceria revelando a fuga dos dois.


Inclinado a ela e com o mais doce tom lhe perguntou:

- Senti se bem minha querida? Achas que ES capaz de continuar?

Demorou alguns segundos ate que ela finalmente começasse, com um ar preocupado, cansado e pausadamente ela articulou:

-Tenho medo de que com a chegada da aurora tudo não tenha passado de um sonho.

-Ora! Confie em mim, mas principalmente no amor que nos rege –tentou acalma – La

-Mas continuara a me amar amanha?

- Não só amanha, mas como todos os dias de minha existência.

- E poderei contar com você?

- Viverei apenas e somente por que tu estarás comigo!

- Tenho tanto medo de que me abandone...

- Nem mesmo que o sol deixasse de brilhar.

- Vou velo ao amanhecer?

- Me veras ao te lado enquanto te for permitido enxergar. E quando por ventura não mais contar com seus olhos contara com o teu coração e sempre me sentira por perto.

- Mas e quanto ao teu amor, sentirei que sempre será meu?

- Não terás duvida nem mesmo um só segundo, pois estarei sempre declarando a imensidão dos meus sentimentos a você e a quem mais o quiser ouvir. E poderás ver em meus olhos a sinceridade em cada palavra... Eu te amarei para sempre.

- O sempre também cessa, e com mais freqüência quando combinado ao amor.

- Só quando o amor se desocupa. Mas tenho planos para cada um de todos os infinitos dias que pretendo tê-la comigo. - o jovem já impaciente em silencio esperou.

- Não sei se posso continuar. - disse ela envolvida na fragilidade de sua insegurança.

-Serei teu porto seguro. – rapidamente ele completou.

- Mas não sei se agüentarei

E como num jogo de perguntas e resposta onde ganharia o mais ágil ele disparou:

- Te darei a força necessária.

- Não sei se quero continuar...

Um pouco pensativo mais ainda tentando manter o rigor ele balbuciou:

- Escute a voz do teu coração...

Levou alguns minutos pensativa, e ele a observar minuciosamente , como quem procurava descobrir o mais extraordinário segredo. Ela em sua postura imóvel e ilegível. Ate que um raio de luz iluminou seu olhar e rapidamente como uma boneca que alguém da corda e ela dispara a falar, declarou:

-Sim meu amor, ela me diz para confiar em você. Agora sei que você é tudo o que eu sempre sonhei para mim. Posso sentir a felicidade nos estendendo a mão. Consigo ate mesmo enxergar a luz e a imensidão do teu amor. Sei que seremos felizes. Flutuaremos sobre as nuvens. Alcançaremos o céu. Perdoe-me por ser tão tola, não sei como pude ser tão cega. É você meu amor, você ES meu presente divino... Mas me diga mais uma vez, uma ultima vez. – em seu rosto desenhou se um sorriso- Estarás comigo pela manha?!

Fez se silencio bosque adentro ate a natureza silenciou para ouvir mais uma vez a doce voz daquele amante apaixonado, e sua bela frase de amor que já havia sido dita a momentos atrás.

- não.

Ele se virou e em passos largos se retirou do frio, escuro e sombrio bosque, rumo a sua aconchegante cama de onde, agora estava claro, jamais deveria ter saído.



Nota da autora: (com cara de moral da historia) Saiba sempre o momento exato de parar de fazer doce e se entregar ao obvio, antes que chegue ao insuportável. E de maneira alguma culpem os homens por desistirem de vocês, lembrem-se: Eles provavelmente foram muito alem dos seus limites e ERA por amor. Colega, o amor pode não ter limite, mas o bom senso, ah! Esse TEM!