segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Desejos de uma noite de verão




Sabe o que eu queria? Que o telefone tocasse e fosse noticia boa.
Que chegasse por carta, uma mensagem positiva de terras distantes.Prevendo para um futuro nem tão distante assim, um historia brilhante.
 Queria que um amigo, desses bem queridos que cultivamos cuidadosamente em nosso peito, sentasse comigo debaixo de um arvore e dedicasse a tarde de domingo ensolarada ,me explicando quem é a Thalita que um dia ele conheceu. Seria necessário talvez mais que um domingo, e provavelmente muita, mais muita paciência.
Queria que uma dessas estrelas cadentes pudesse me encontrar, uma vez que eu já desisti e encontrá-las. Seria tão bom se uma me concedesse um pedido.O menor deles que fosse.  Já faria grande diferença.Não me atreveria a pedir muito,pediria só o suficiente.
Melhor não abusar NE?Vai que ela também me dê por causa perdida...Pediria apenas a minha vida de volta. Ou ao menos o amor que tinha por ela.
Se os mesmos duendes que teimavam em esconder as minhas chaves  existissem, talvez eu conseguisse oficializar um acordo.Toda maça do universo, ou pelo menos as que meu dinheiro pudesse comprar, em troca de noites mais calmas.. sonos mais leves, sonhos mais felizes.
Representaria um novo tratado de Tordesilhas pra esse meu mundo tão turbulento.
Ah! Eu seria feliz, sim seria. Com certeza seria... Não tem como não ser!
Se ao menos Deus pudesse com toda sua graça e misericórdia  falar comigo, e no alto da minha petulância eu pudesse escolher o que ouvir, desejaria somente uma coisa: Calma filha, as coisas vão começar a fazerem sentido.






terça-feira, 9 de outubro de 2012

Sem vontade...


Me mandaram fazer um resumo dos últimos 7 meses.
E o que eu encontrei foi uma palavra:Falsidade.
Acho que não foi bem isso que me foi solicitado.
A idéia não era resumir tanto, mas percebi que mesmo tão pequena a tal “falsidade” tinha muito a dizer .
Ninguém melhor que ela poderia representar esses primeiros meses de 2012.
Foi só o que eu encontrei no meu caminho.
Eu convive com pessoas falsas, eu recebi falsidade, plantei e colhi esse repugnante sujeito feminino.
Meu medico perguntou:  Você notou alguma melhora nesse ultimo mês?
E eu respondi: Como poderia identificar uma melhora se já estou tão acostumada a fingir que estou bem? Tá difícil até pra mim saber quando é automático e quando é sincero.
Eu ando no automático. No fingimento descarado!
Meu sorriso já é defesa e esta sempre em punho.
 Minhas lagrimas vem vez ou outra quando o organismo não suporta mais tanta hipocrisia,é a maneira que encontra de transbordar. São como gritos da minha alma,que  clama pelo fim de tanta confusão.
Dizer para as pessoas que você não esta sentindo o que esta sentindo é fácil.
O problema é quando você passa a acreditar nas suas palavras e ignora os sentimentos!
No fundo eu acho que é isso que todo mundo espera, e pensa sobre essa doença.
Esperam que você possa controla La.
E pode! As pessoas não estão de todo erradas...
 Você pode controlar a quantidade de vezes que você chora, fala, reclama... mas não a intensidade  do que sente.
 Você camufla toda a sua dor em um sorriso, em piadas, em romances passageiros, em amizades fúteis, em copos de bebidas.E chega uma hora que não se da mais conta que  a freqüência mudou. Os choros diminuíram  e você apenas sorri e responde Estou bem,ate mesmo quando não te perguntam nada.
Você estará sempre bem. Incrível.
Fica só pra você o conhecimento verdadeiro do peso desse sentimento,a noite quando você chega em casa , seja do trabalho seja da balada, deita na sua cama e fica ali sozinho com você mesmo, ali  você se da conta de que algo esta errado.
No fundo  sabe que a pessoa que estava lá fora usando seu corpo e sua identidade não era você.
Não tem como ser, por que aquele ser distribui sorrisos e você não se senti bem, muito menos completo.Te falta algo, falta alguém, falta você mesmo....falta essência.
Comer por comer, sair por sair, trabalhar por trabalhar, rir por rir?! De repente tudo faz sentido.Me falta vontade.Ganas de vivir , diria um bom argentino.
Quisera eu poder  adquirir de volta a motivação que outrora eu possuía .
E você apenas se pergunta onde tudo isso te levara, se esta vivendo por você ou pelos outros?!


Se vale a pena continuar fingindo viver...







quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Doismiledoze





Meu coração acordou em pedaços...
Tantos que ainda estou tentando junta lós pra ver no que vai dar.
O problema ,é não saber bem por onde começar.
É um vazio que parece não ter dimensão, uma angustia sem causa, uma dor sem foco, sem origem aparente. Mas que está La, com você diariamente. Latejando, pulsando, emanando dor segundo por segundo. E dói nhei? Meu Deus como dói!!!
E a sensação? Aquela de nadar, nadar e nadar, e não sair do lugar.De que de repente na metade do caminho você esqueceu  a direção pra onde estava indo, não avistar o destino, não lembrar nem o motivo das braçadas dadas ate aqui.
Aquela vontade de desistir... que me invade a  todo momento. É uma briga constante.Com um inimigo forte, muito forte:eu mesma.
Toda segunda me dizem que ninguém me sabota mais do que eu. E toda segunda eu saiu daquele consultório me perguntando de que maneira eu vou vencer meu inimigo.
Se eu tentar sabotar meu sabotador eu estaria me auto sabotando pela segunda vez  né?
É, provavelmente não resolveria.
A ferrada continuaria sendo eu.
Deixa La vencer me ferra, destruir La me ferra, fugir? Não adianta.Enfrentar? é complexo...
E pensar, eu enlouqueço.

Nota da autora: Quem me acode à cabeça e ao coração neste fim de ano, entre alegria e dor?Que sonho, que mistério,que oração?Amor - -Carlos Drummond de Andrade